Seu cachorro comeu cocô? Tudo que você precisa saber sobre coprofagia - Você Mais Seguro
17851
post-template-default,single,single-post,postid-17851,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Seu cachorro comeu cocô? Tudo que você precisa saber sobre coprofagia

Seu cachorro comeu cocô? Tudo que você precisa saber sobre coprofagia

Se seu cachorro está com essa mania horrível de comer cocô: fique calmo! É nojento, mas, acredite, este comportamento entre os cachorros e outros bichos é muito mais comum do que você pensa!

Coprofagia é um nome muito complicado, mas ele vem do grego, vou explicar: copro significa “fezes”, fagia “ingestão” ou seja: ingestão de fezes! O nome então é exata descrição do comportamento!

Agora que estamos devidamente apresentados, podemos ir para o que interesse: o que leva o seu lindo e amado filho de quatro patas a comer cocô? Será que ele está com fome? Será que está subnutrido? Será que está com alguma deficiência nutricional? Não necessariamente… Aí vem a parte chata: na maior parte dos casos, esse comportamento é puramente comportamental!

Pode, também, ser um somatório de causas médicas e comportamentais. Ou seja, é meio chatinho descobrir o que está realmente levando seu cão a coprofagia, mas, confia que você vai conseguir acabar com isso! Vamos lá!

Possíveis causas médicas da coprofagia

A primeira coisa a fazer é ver se tem uma causa médica por trás. Qualquer problema médico que leve a uma má absorção de nutrientes durante a digestão pode levar a coprofagia: deficiência na produção de enzimas digestivas, verminoses, diabetes e até mesmo ração de baixa qualidade podem levar a coprofagia.

Se as fezes tem uma aparência de alimentos pouco digeridos, o sinal amarelo é acionado, melhor leva-lo ao veterinário. Vários exames serão feitos até que possamos entender o que está acontecendo mesmo e o tratamento vai variar com a causa médica.

+ Veja Também:   Novembro Azul Pet

Rações de baixa qualidade apresentam baixa digestibilidade, veja nosso post sobre alimentação canina aqui http://vocemaisseguro.com/alimentacao-canina-racao-comercial/. Se essa for a causa, seu veterinário irá auxiliar na escolha de uma nova ração.

Cães diagnosticados com deficiência de enzimas digestivas vão passar a ingerir suplementos desta enzima junto com a comida pelo resto da vida. Os suplementos vão fazer o papel de quebrar a comida pelo organismo do cachorro, e assim, eles poderão absorver os nutrientes necessários.

A não ser que tenha se tornado um hábito, o que se espera é que a coprofagia vá diminuindo aos poucos, até o cão não faça mais por instinto. Enquanto isso, o dono deve tentar sempre limpar e se livrar os dejetos o mais rápido possível, para impedir que o cão – que está no começo do tratamento – não acabe criando este péssimo hábito.

Comportamental – coprofagia em filhotes

A coprofagia é um problema muito comum em filhotes! E normalmente é eliminado quando ele entra na fase adulta, quando se estabelece uma dieta mais equilibrada e nutritiva. É importante o tutor ficar em cima também fazendo uma doutrinação e supervisão de maneira correta.

Inicialmente pode ter começado mais por curiosidade mesmo: ele brincando com o próprio cocô, acabou comendo, por curiosidade. O problema pode surgir quando o dono ao se assustar com o ato do cachorro, acaba brigando muito com seu filhote por causa disso e de maneira errada! Se, por exemplo, o filhote fica muito tempo sozinho, a atenção a mais do dono mesmo que na forma de recriminação, pode ser considerada um estímulo para receber mais atenção. E aí mora o problema.

+ Veja Também:   Cuidados com pet em caso de viagem

O que também pode acontecer é o contrário: se digamos, o cachorro é muito recriminado por fazer cocô no lugar errado, ele pode, com medo, acabar comendo para “eliminar o erro cometido por ele”.

Às vezes, as causas podem ser um somatório e não apenas um: pode começar por uma deficiência nutritiva, e acaba se tornando um hábito adquirido pelo cão.

Higiene é fundamental

 É necessário fazer uma análise de todo o ambiente em que o cachorro se encontra: com qual frequência que você faz a higiene da sua casa? O processo pode estar se desencadeando até por um instinto do próprio cão de tentar limpar o próprio ambiente.

Se onde ele faz as necessidades dele está muito próximo da onde ele dorme ou da onde ele come, ele, por instinto, vai querer limpar o local de convívio. Por isso, é muito importante escolher um local específico para ser o “banheiro” deles: cães não gostam de ter fezes e urinas perto da onde eles comem e dormem.

Há também mudanças na vida do pet que podem acabar fazendo ele desenvolver coprofagia, o dono deve sempre ficar atento: ansiedade e carência podem fazer o cachorro acabar desenvolvendo este tipo de comportamento, ainda mais quando eles acabam realmente “ganhando atenção” do dono – nem que essa atenção seja uma bronca, para o cão isso é atenção!

+ Veja Também:   Cachorro na praia pode?

Ou seja, o dono deve ficar atento para todos esses componentes: comportamentais, de higiene e médicos também! O que pode acontecer, é que um acaba intensificado por outro: uma ração de baixa qualidade pode fazer seu cão acabar ingerindo, por instinto, seu próprio cocô, só que por ganhar mais atenção do dono, ele acaba criando este hábito! E mesmo trocando de ração ele permanece fazendo isso!

DICA:

Sempre limpe o mais rápido possível o “banheiro” do seu cão, para evitar ao máximo que ele tenha um contato constante. É sempre bom evitar esse contato. Aumente a distância entre o “banheiro” e onde o cachorro normalmente dorme e passa a maior parte do tempo!

Táticas alternativas devem ser evitadas – não há comprovação veterinária

Existe uma tática que é de tentar colocar algumas comidas que quando eliminadas nas fezes podem ter péssimo gosto – alguns até citam: mamão, iogurte, queijo do tipo cottage. Mas na verdade, não há nada de comprovado, e além disso, devemos tomar muito cuidado com o tipo de comida que damos para nossos cachorros, pois algumas podem ser consideradas tóxicas para eles, mesmo que para gente não seja.

Mas hoje existem medicamentos que agem no sistema digestivo, e modificam o sabor das fezes, provavelmente seu veterinário irá indicar caso ele perceba que a coprofagia é realmente mais comportamental.

 

 

Fonte:

https://www.uai.com.br/app/noticia/saude/2015/07/24/noticias-saude,187279/seu-cachorro-come-coco-entenda-a-coprofagia.shtml

http://www.peteducation.com/article.cfm?c=21+1276&aid=155

https://vcahospitals.com/know-your-pet/dog-behavior-problems-coprophagia

http://www.dogster.com/lifestyle/why-do-dogs-eat-poop-coprophagia

http://www.petmd.com/dog/wellness/evr_dg_coprophagia_dietary_supplements

 

5 (100%) 1 vote
No Comments

Post A Comment

giay nam depgiay luoi namgiay nam cong sogiay cao got nugiay the thao nu